Relações Internacionais

Conduzir as relações entre povos, nações e empresas e promover o entendimento para facilitar acordos políticos, militares, culturais e econômicos. Campo de atuação profissional amplo com múltiplas possibilidades.

Curso Premiado

Guia do estudante 2015 – Relações Internacionais

O curso de Relações Internacionais do Moura Lacerda tem três estrelas no Guia do Estudante 2015 - Melhores Universidades.

O Curso
O curso de Relações Internacionais do Centro Universitário Moura Lacerda foi instituído pela Resolução CEPEX 04/97, de 07/11/1997, e reconhecido pelo MEC através da Portaria nº 2747, de 30/09/2003, publicada no Diário Oficial de 12/10/2003.

A montagem do curso partiu da identificação das demandas profissionais que refletem as transformações políticas, econômicas, culturais e sociais que têm caracterizado o mundo nas últimas décadas. Para tanto, a elaboração da grade curricular exigiu uma pesquisa que apontasse, por um lado, as especificidades da área de Relações Internacionais e, por outro lado, as características singulares da região de Ribeirão Preto, mapeando, assim, as áreas potenciais de atuação para o profissional internacionalista.

 

Objetivo

O curso visa formar o Bacharel em Relações Internacionais para atuar na assessoria, gerenciamento ou direção em diversas entidades públicas ou particulares, auxiliando em suas relações com membros, empresas, instituições ou entidades de outros países, relações que podem ser de caráter econômico, político, social, militar ou cultural.

 

Áreas de Atuação

Dentre as áreas de atuação do Bacharel em Relações Internacionais, podemos citar as seguintes:

a) Prestação de serviços e assessoria técnica a entidades públicas e privadas e organizações internacionais, em suas interfaces com o plano internacional e/ou no âmbito de projetos de cooperação internacional ou de processos de negociação internacional.
b) No Comércio Exterior, atuando como profissional especializado de forma abrangente e com uma visão ampla das sociedades contemporâneas.
c) No setor público, além da carreira diplomática, destacam-se as diferentes carreiras do Estado, como, por exemplo, de analista de comércio exterior, analista de finanças e controle e de especialista em políticas públicas e gestão governamental, de analista de informações e pesquisador, além das várias agências reguladoras que possuem estrutura de cooperação e assessoria internacional.
d) Assessoramento a organismos internacionais e missões nacionais no estrangeiro e emissões estrangeiras no Brasil.
e) Carreira acadêmica.

Nesse sentido, percebe-se que o campo de atuação profissional é amplo e comporta múltiplas possibilidades. O mercado de trabalho está em expansão.

 

Conheça nossa grade e corpo docente